Patologia

História da Patologia

Patologia (derivado do grego pathos, sofrimento, doença, e logia, ciência, estudo) ou anatomia patológica é o estudo das doenças em geral sob aspectos determinados, tanto na medicina quanto em outras áreas do conhecimento como matemática e engenharias, onde é conhecida como "Patologia das Edificações" e estuda as manifestações patológicas que podem vir a ocorrer em uma construção. Ela envolve tanto a ciência básica quanto a prática clínica, e dedica-se ao estudo das alterações estruturais e funcionais das células, dos tecidos e dos órgãos que estão ou podem estar sujeitos a doenças.

Não há um único evento que, sozinho, marque o início da patologia como uma área de interesse na medicina, mas sim um conjunto deles. Dentre tantos pesquisadores que contribuíram para o crescimento da patologia destaca-se Rudolph Ludwig Carl Virchow, que nasceu em 13 de outubro de 1821, na Pomerânia, Polônia. Foi um pesquisador experimental talentoso, um microscopista perito, anatomista, patologista e médico. Talvez seja mais lembrado pela cristalização da teoria fundamental para a medicina científca - de que as células, as unidades básicas da vida, suregm de outras células e representam a morada última da doença. A fomação médica de Virchow foi exemplar, e contribuindo para a sua crescente autoridade estava sua própria pesquisa experimental: em estudos sobre circulação e coagulação sanguínea cunhou o termo trombose e descreveu o fenômeno da embolia. Em autópsias identificou o “sangue branco”, e reconheceu que a proporção de glóbulos brancos para glóbulos vermelhos estava invertida, descobrindo e descrevendo assim a leucemia.

Lançou a obra Die Celllularpathologie (Patologia celular) em 1858, um marco genuíno da medicina científica, obra que contém uma série de 20 conferências que renovaram meio século da ciência em patologia: historicamente via-se primeiramente o órgão individualemnte, depois os tecidos começaram a ser considerados os lugares que fundamentalmente sofrem as alterações nas doenças; com Virchow veio a célula - num corpo constituído por uma vasta reunião de células individuais, todo o processo de doença afeta o funcionamento normal das células; a anatomia patológica então tornava-se agora a patologia celular.

A morte de Virchow, de doença cardíaca, veio várias semanas depois de sofrer uma fratuira de fêmur em um acidente de bonde. Quando morreu, e 5 de setembro de 1902, Berlim lhe prestou um funeral com honras públicas.

Atualmente, o conhecimento de patologia se junta a um universo de outros conhecimentos que, não menos importantes, vão se somando e contribuindo de forma muito rápida para o desenvolvimento científico, para a melhoria da qualidade de vida e para a maior longevidade do ser humano.

 

 

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910