2015

Nesta página você encontra as matérias que saíram na mídia sobre o Museu de Ciências da Vida durante o ano de 2015

 

Matéria publicada no site G1 ES, no dia 28 de Junho de 2015.

Exposição mostra corpo humano em detalhes em Vitória, ES

Órgãos, ossos, células, animais estão a mostra no projeto.
Projeto traz peças para deficientes visuais tocarem e conhecerem.

Professor Athelson é o idealizador do projeto (Foto: Elizabeth Nader/ Arquivo Pessoal)

Você conhece tudo o que existe dentro do corpo humano? Se a resposta é não, a exposição "Corpo Humano: da célula ao homem" promete te mostrar. Idealizada pelo professor de anatomia e neuroanatomia Athelson Bitencourt, a mostra entra em cartaz a partir de terça-feira (30), no Palácio Anchieta, em Vitória. A entrada é gratuita e a exposição fica até agosto no local.

A visita é um convite para ver cerca de 280 peças, entre exemplares de ossos, espécimes naturais mumificadas, plastinadas ou fixadas em formol, réplicas realísticas de fósseis de hominídeos e animais pré-históricos, e modelos anatômicos didáticos de órgãos e sistemas.

Ela reflete o trabalho de oito anos do professor Bitencourt, que atua na Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) coordenando o laboratório Museu de Ciências da Vida (MCV). Apaixonado pelo estudo do corpo e da evolução, ele acredita que a exposição permitirá com que outras pessoas conheçam mais sobre si mesmo e sobre outros animais.

“Nós queremos levar o visitante a uma viagem que vai do DNA até o corpo na sua complexidade total. Temos um grande acervo, inclusive com peças que são réplicas perfeitas sobre o processo de evolução, importadas do Estados Unidos. Esse conjunto é inédito no Brasil, acredito que ninguém tenha uma coleção tão completa quanto a nossa”, contou Bitencourt.

Coração dissecado é uma peças que estarão no local (Foto: Divulgação/ Palácio Anchieta)

Outro ponto inédito dessa exposição é um dos processos utilizados para a conservação das peças: a plastinação. Ela consiste na retirada água do corpo e substituição por um resina, isso faz com o material nunca mais se decomponha.

O professor aprendeu a técnica no Estados Unidos e a desenvolve no laboratório da universidade. Uma das vantagens desse processo é que ela permite que pessoas com algum tipo de deficiência visual também possam enxergar à própria maneira cada parte do corpo humano.

“A plastinação não deixa componentes químicos, então ela permite que um deficiente visual por exemplo, toque em uma peça real, como um cérebro. Ele não pode vê-lo, mas irá sentí-lo. Na nossa exposição nós temos várias assim, mas as que não são, ou seja, que são conservadas em outros processos, também possuem uma réplica feita em outro material para que todos possam ter essa experiência”, completou Bitencourt.

Esqueleto de animais estão presentes na mostra (Foto: Divulgação/ Palácio Anchieta)

Uma das peças mais interessantes da exposição é o corpo humano dissecado, vertical, fixado em formol. Ele é resultado de um trabalho feito em 2000 horas pelo professor. Com ele, é possível conhecer todos os músculos superficiais do corpo humano. Além dele, o sistema nervoso central do ser humano também terá destaque, resultado trabalho realizado em 1500 horas.

De acordo com o professor, nos oito anos de projeto, foram investidos R$1,7 milhão. "É um projeto vindo do dinheiro público, é especialmente para o público. Estou muito feliz por ele ter chegado nesse nível de exposição. E daqui para frente, o obejtivo é só evoluir, o projeto é uma unidade viva que encanta desde crianças de três anos de idade a adultos", contou.

A mostra também vai oferecer oficinas aos visitantes, dentre elas, a montagem de um corpo, montagem de esqueleto humano e a montagem de um quebra-cabeça com radiografias reais de um esqueleto humano adulto.

Inclusão
Para garantir uma locomoção segura e o mais independente possível, o espaço expositivo terá sinalização podotátil, orientando o deficiente visual no trajeto lógico e adequado dentro da exposição.

Cada peça ou experimento que permitir a interatividade tátil e audível será sinalizada em Braille. Estas adequações garantirão ao deficiente visual o acesso a uma área do conhecimento que para maioria deles era inacessível até então.

Serviço
Exposição científica "Corpo Humano: da célula ao homem"
Data: 30 de junho a 30 de agosto
(A abertura da exposição acontece no dia 30 de junho às 19h, com noite aberta ao público.)
Local: Espaço Cultural Palácio Anchieta
Horário: Terça a sexta - 9h às 18h.
Sábado - 9h às 17h
Domingo - 9h às 16h

________________________________________________________________________

Matéria publicada no site Sou ES, no dia 29 de Junho de 2015.

Palácio Anchieta recebe exposição sobre corpo humano

"Corpo Humano: da célula ao homem" entra em cartaz nesta quarta-feira, 1º de julho

Por: Redação Sou ES

Foto: Divulgação

Uma verdadeira viagem pela anatomia humana é o que promete aos capixabas a mais nova exposição do Palácio Anchieta. Com abertura nesta quarta-feira (1º), “Corpo Humano: da célula ao homem” exibirá 280 peças, entre elas, partes naturais conservadas e réplicas. 

A mostra conta com uma programação extensa e ações educativas, como oficinas gratuitas aos visitantes. O público poderá acompanhar a história da evolução humana, partindo de 500 milhões de anos atrás, quando surgiram os primeiros vertebrados, até os tempos atuais. Modelos didáticos em 3D e microscópios mostrarão com precisão o universo de nosso corpo.

A exposição abordará os aspectos anatômico-funcionais do corpo humano, incluindo desde suas estruturas elementares até as mais complexas, como o DNA, células e tecidos, órgãos e sistemas, desenvolvimento embrionário e fetal, evolução humana, anatomia comparada de vertebrados. 

Entre as peças expostas haverá ossos, espécimes naturais mumificadas, plastinadas ou fixadas em formol, réplicas realísticas de fósseis de hominídeos e animais pré-históricos, e modelos anatômicos didáticos de órgãos e sistemas. A peça mais curiosa, que promete ser a mais procurada, é o corpo humano dissecado, vertical, fixado em formol.

Interatividade
Com recursos tecnológicos avançados, os visitantes poderão interagir mais facilmente com a exposição. Na sala “1” funcionará um espaço multimídia com 45 lugares, que exibirá o filme “Viagem por dentro do corpo humano”, com duração de 15 minutos. Monitores de LED 42” serão instalados para exibir filmes, animações e esquemas táticos.

Foto: Divulgação

Além disso, buscando uma maior inserção da exposição no contexto atual das tecnologias da informação, toda a coleção foi informatizada. Através de um aplicativo para smartphone e tablet, disponibilizado na internet, o visitante terá acesso, via “QR code”, às informações de cada peça do acervo em seu próprio celular, optando pela língua de sua preferência: português, inglês ou Libras.

A mostra também vai oferecer oficinas aos visitantes, dentre elas, a montagem de um corpo e de um quebra-cabeça com radiografias reais de um esqueleto humano adulto.

Para garantir uma locomoção segura e o mais independente possível, o espaço expositivo terá sinalização podotátil, orientando o deficiente visual no trajeto lógico e adequado dentro da exposição. Cada peça ou experimento que permitir a interatividade tátil e audível será sinalizada em Braille. Estas adequações garantirão ao deficiente visual o acesso a uma área do conhecimento que para maioria deles era inacessível até então.

A exposição científica "Corpo Humano: da célula ao homem" é patrocinada pelas secretarias estaduais de Governo, da Cultura e da Educação. A realização é do Museu de Ciências da Vida (MCV) e da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), sob a curadoria de Athelson Bitencourt - idealizador do projeto, coordenador do MVC e professor de anatomia e neuroanatomia.

Serviço
Exposição científica "Corpo Humano: da célula ao homem"
Aberto ao público a partir do dia 1º de julho
Visitação: até 30 de agosto - de terça a sexta-feira, das 9h às 18h. Sábados, de 9h às 17h, e domingos, das 09h às 16h
Local: Espaço Cultural Palácio Anchieta, no Centro de Vitória.
Agendamento de visita: (27) 3636.1030/ 1032 ou no e-mail agendamento.palacioanchieta [at] es.gov.br
Entrada gratuita

Fonte: Secult

________________________________________________________________________

Matéria publicada no site da UFES, no dia 30 de Junho de 2015.

Palácio Anchieta recebe exposição “Corpo humano: da célula ao homem”

O Museu de Ciências da Vida (MCV), do Centro de Ciências da Saúde (CCS) da Ufes, inicia nesta quarta-feira, dia 1º de julho, a exposição “Corpo humano: da célula ao homem”, no Espaço Cultural Palácio Anchieta, no Centro de Vitória.

A exposição científica estará aberta ao público gratuitamente até o dia 30 de agosto, e as visitações poderão ser feitas das terças às sextas-feiras, das 9 às 18 horas; aos sábados, das 9 às 17 horas; e aos domingos, das 9 às 16 horas. A abertura oficial da exposição será realizada nesta terça-feira, dia 30, às 19 horas, com as presenças do reitor Reinaldo Centoducatte; da diretora do CCS, Gláucia Abreu; e do governador do Estado, Paulo Hartung.

Na exposição, o MCV apresenta o seu acervo científico com cerca de 280 peças, entre ossos, espécimes naturais mumificadas, fixadas em formol ou plastinadas – moderno método de conservação –, réplicas realísticas de fósseis de hominídeos e de animais pré-históricos, modelos anatômicos didáticos de órgãos e sistemas.

O coordenador do MCV, professor Athelson Bitencourt, também curador da exposição, salienta que a mostra é uma oportunidade para se conhecer os segredos e curiosidades do corpo humano, sendo um rico aprendizado para o visitante. “A programação é extensa e traz ações educativas, como oficinas gratuitas para os visitantes”, afirma Bitencourt. O projeto idealizado pelo professor é inédito no Brasil.

Evolução

Na exposição, o visitante pode fazer uma viagem pela história da evolução humana, desde os primeiros vertebrados até a era moderna. Por meio de modelos didáticos em 3D e de microscópios, o visitante poderá visualizar toda a estrutura do corpo humano. Além disso, a exposição apresenta um corpo humano dissecado, vertical e fixado em formol. “É a peça que mais atrai a atenção dos visitantes”, destaca o professor Athelson Bitencourt.

A mostra também apresenta aspectos anatômicos e funcionais do corpo, das estruturas elementares às mais complexas, como o DNA, células e tecidos, órgãos e sistemas, o desenvolvimento embrionário e fetal, e a anatomia comparada de vertebrados. 

Interatividade

A exposição do MCV traz conteúdo interativo, por meio de modernas tecnologias, em que o visitante pode transitar e ter acesso ao espaço multimídia, com capacidade para 45 lugares, onde será exibido o filme “Viagem por dentro do corpo humano”, com 15 minutos de duração.

A coleção é toda informatizada, com a utilização de modernas tecnologias da informação. Segundo o professor, é disponibilizado para os interessados um aplicativo para smartphone e tablet, acessível na internet, em que o visitante tem acesso a informações sobre cada peça, com opção de língua em português, inglês ou Libras, ou áudio em português.

Bitencourt, que é professor de Anatomia e Neuroanatomia do CCS/Ufes, destaca que a exposição oferece oficinas para os visitantes, incluindo a montagem de um corpo humano, de um esqueleto, e de um quebra-cabeça com radiografias de um esqueleto humano. A realização da mostra é resultado de uma parceria entre Ufes, Governo do Estado, CNPq, Fapes, Facitec, Ceturb-G e Central Única das Favelas (Cufa-ES).

Serviço:

Exposição científica “Corpo humano: da célula ao homem”
Período: de 1º/07 a 30 de agosto
Local: Espaço Cultural Palácio Anchieta – Praça João Clímaco, s/n, Cidade Alta, Centro de Vitória.
Visitação: das terças às sextas-feiras, das 9 às 18h; aos sábados, das 9 às 17h; e aos domingos, das 9 às 16h.
Entrada gratuita.

Texto: Luiz Vital
Edição: Thereza Marinho

________________________________________________________________________

Matéria publicada no site da Secratária de Cultura do Espirito Santo, no dia 01 de Julho de 2015.

Aberta a exposição ‘Corpo Humano – Da Célula ao Homem’ no Palácio Anchieta

O Espaço Cultural do Palácio do Governo abriu suas portas nesta terça-feira (30) para a exposição "Corpo Humano - Da Célula ao Homem". Uma mostra rica por seu acervo, inédita e importante, tanto para a cultura quanto para a educação.

O curador da mostra, o professor doutorAthelson Bittencourt falou sobre o sonho realizado de montar esse acervo num local apropriado e abri-lo ao público. Já o secretário de Estado da Cultura, João Gualberto Vasconcellos, ressaltou aimportância de valorizar o trabalho e o conhecimento dos profissionais capixabas como foi feito neste projeto. “Queremos encher esse espaço de estudantes e jovens para que eles possam conhecer a máquina perfeita que é o corpo humano. O aprendizado cultural é essencial na vida de qualquer ser humano", declarou o secretário de Estado da Educação, Haroldo Rocha.

A abertura da exposição contou, também, com a presença do reitor da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), Reinaldo Centoducatte e de alunos da rede estadual de ensino.

A mostra

 

A exposição “Corpo Humano – Da Célula ao Homem" fica em cartaz até o dia 30 de agosto.  Com um patrimônio cultural e científico valioso, o acervo da mostra conta com cerca de 280 peças, entre ossos, espécimes naturais mumificadas, plastinadas ou fixadas em formol, réplicas realísticas de fósseis de hominídeos e animais pré-históricos, e modelos anatômicos didáticos de órgãos e sistemas. A peça mais curiosa, que promete ser a mais procurada, é o corpo humano dissecado, vertical, fixado em formol.

Visitantes farão uma fantástica viagem pela história da evolução humana, partindo de 500 milhões de anos atrás, quando surgem os primeiros vertebrados, até os tempos atuais. Modelos didáticos 3D e microscópios mostrarão com precisão o universo microscópico de nosso corpo. A mostra abordaos aspectos anatômico-funcionais do corpo humano, incluindo desde suas estruturas elementares até as mais complexas, como o DNA, células e tecidos, órgãos e sistemas, desenvolvimento embrionário e fetal, evolução humana, anatomia comparada de vertebrados.  

A mostra fica em fica em cartaz no Espaço Palácio Anchieta, no Centro de Vitória, até o dia 30 de agosto e pode ser visitada de terça a sexta-feira, das 9 às 17 horas e aos sábados e domingos, das9 às 16 horas. Grupos podem agendar visita pelos telefones (27) 3636-1032 ou 3636-1035.

Serviço:
Exposição "Corpo Humano - Da Célula ao Homem"
Local: Espaço Cultural Palácio Anchieta
Data: Até 30 de agosto (de terça a sexta, das 9 às 17h / sábados, domingos e feriados, das 9 às 16h)

Agendamento de grupos: (27) 3636 1032 e 3636 1035

________________________________________________________________________

Matéria publica no site Gazeta Online, no dia 01 de Julho de 2015.

Exposição faz viagem pelo corpo humano

Mostra idealizada por professor da Ufes reúne 280 peças, entre elas um corpo inteiro dissecado

________________________________________________________________________

 

Matéria publicada no site Folha Vitória, no dia 04 de Julho de 2015.

Palácio Anchieta: exposição desvenda mistérios do corpo humano

Visitantes farão uma fantástica viagem pela história da evolução humana, partindo de 500 milhões de anos atrás, quando surgem os primeiros vertebrados, até os tempos atuais

A interatividade também é parte importante nesse projeto Foto: Divulgação

 

Os segredos e curiosidades do corpo humano estão na exposição “Corpo Humano: da célula ao homem", em cartaz no Palácio Anchieta, em Vitória, até o dia 30 de agosto. Com proposta inovadora e inédita no Brasil, a mostra tem uma programação extensa e ações educativas, como oficinas gratuitas aos visitantes. 

Com um patrimônio cultural e científico valioso, compõem o acervo da mostra cerca de 280 peças, entre ossos, espécimes naturais mumificadas, plastinadas ou fixadas em formol, réplicas realísticas de fósseis de hominídeos e animais pré-históricos, e modelos anatômicos didáticos de órgãos e sistemas. A peça mais curiosa, que promete ser a mais procurada, é o corpo humano dissecado, vertical, fixado em formol.

Visitantes farão uma fantástica viagem pela história da evolução humana, partindo de 500 milhões de anos atrás, quando surgem os primeiros vertebrados, até os tempos atuais. Modelos didáticos 3D e microscópios mostram com precisão o universo microscópico do nosso corpo. A mostra aborda os aspectos anatômico-funcionais do corpo humano, incluindo desde suas estruturas elementares até as mais complexas, como o DNA, células e tecidos, órgãos e sistemas, desenvolvimento embrionário e fetal, evolução humana, anatomia comparada de vertebrados.  

Interatividade

A interatividade também é parte importante nesse projeto. Recursos modernos vão transformar o acesso às informações em uma experiência única. Com recursos tecnológicos avançados, os visitantes poderão interagir mais facilmente com a exposição. 

Além disso, buscando uma maior inserção da exposição no contexto atual das tecnologias da informação, toda a coleção foi informatizada. A mostra também vai oferecer oficinas aos visitantes, dentre elas, a montagem de um corpo, montagem de esqueleto humano e a montagem de um quebra-cabeça com radiografias reais de um esqueleto humano adulto.

Para garantir uma locomoção segura e o mais independente possível, o espaço expositivo terá sinalização podotátil, orientando o deficiente visual no trajeto lógico e adequado dentro da exposição.

Uma mostra rica por seu acervo, inédita e importante, tanto para a cultura quanto para a educação. O curador da mostra, o professor doutor Athelson Bittencourt falou sobre o sonho realizado de montar esse acervo num local apropriado e abri-lo ao público. Já o secretário de Estado da Cultura, João Gualberto Vasconcellos, ressaltou a importância de valorizar o trabalho e o conhecimento dos profissionais capixabas como foi feito neste projeto. “Queremos encher esse espaço de estudantes e jovens para que eles possam conhecer a máquina perfeita que é o corpo humano. O aprendizado cultural é essencial na vida de qualquer ser humano", declarou o secretário de Estado da Educação, Haroldo Rocha no último dia 30, na abertura da exposição no ultimo dia 30. 

A mostra

A exposição científica "Corpo Humano: da célula ao homem" é patrocinada pelas secretarias estaduais de Governo, da Cultura e da Educação. A realização é do MCV - Museu de Ciências da Vida, da Universidade Federal do Espírito Santo, sob a curadoria de Athelson Bitencourt, idealizador do projeto, coordenador do MVC e professor de anatomia e neuroanatomia.

A mostra fica em cartaz no Espaço Palácio Anchieta, no Centro de Vitória, até o dia 30 de agosto e pode ser visitada de terça a sexta-feira, das 9 às 17 horas e aos sábados e domingos, das 9 às 16 horas. Grupos podem agendar visita pelos telefones (27) 3636-1032 ou 3636-1035.

Serviço:
Exposição "Corpo Humano - Da Célula ao Homem"
Local: Espaço Cultural Palácio Anchieta
Data: Até 30 de agosto (de terça a sexta, das 9 às 17h / sábados, domingos e feriados, das 9 às 16h) 
Agendamento de grupos: (27) 3636 1032 e 3636 1035
agendamento.palacioanchieta [at] es.gov.br
 
Informações
www.mvc.ufes.br
www.secult.es.gov.br

________________________________________________________________________

Matéria exibida pela rádio CBN Vitória e públicada no site, no dia 12 de Julho de 2015. (Para ouvir o áudio acessem o site da Rádio CBN clicando no titulo da matéria abaixo).

Exposição que revela detalhes do corpo humano já recebeu 7 mil visitantes

Mostra em Vitória vai até o dia 30 de agosto, sempre das 9 às 18 horas. Aos sábados das 9h às 17 horas. E aos domingos 9h às 16h. A entrada é gratuita

Em apenas duas semanas, a mostra “Corpo Humano – Da Célula ao Homem” já recebeu sete mil visitantes, que foram ao Palácio Anchieta, em Vitória, em busca de conhecimento. O projeto chama atenção não apenas pela técnica refinada, utilizada para tratar as cerca de 280 peças que compõem a exposição, ou a forma criativa como elas são apresentadas ao público, mas pelos números envolvidos no trabalho. Mais de 700 alunos bolsistas e voluntários já fizeram parte do projeto que tem um ideal maior: construir um museu laboratório no Espírito Santo.

As peças fazem parte do Museu de Ciências da Vida da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes). Apenas uma parte está exposta, de um total de 400 peças. Foram oito anos de trabalho e captação de recursos para apresentar esse material ao público, segundo Athelson Bittencourt, idealizador e curador da mostra, que também é professor de anatomia da Ufes.

"Quando eu cheguei no departamento de morfologia da Ufes, em 2006, eu encontrei um material que já havia sido produzido por antigos professores. Alguns aposentados, outros que ainda continuam lá. Esse material estava em uma sala sem uso. Dentro da proposta do projeto inicial, eu inclui esse material. A gente reparou as peças, catalogamos todo material que tínhamos. Tinha modelos muito antigos que não estava em uso, dei um conteúdo a esse material e organizei dentro de uma proposta educativa", contou à Rádio CBN Vitória.

 

Entre parcerias e inscrição de projetos para arrecadar recursos, o Museu de Ciências da Vida já conseguiu angariar cerca de R$ 1,7 milhões. Parte desse montante ainda está em caixa para trazer melhorias e executar os projetos dentro do programa Museu, segundo Bittencourt.

"Nem todo ele foi executado. É um projeto de grande envergadura e que está olhando para um horizonte longo, para um futuro amplo para essa perspectiva de tornar o museu um grande espaço de educação e difusão do conhecimento científico. A gente olha para o futuro, para um projeto muito maior de um grande museu de ciências aqui no Estado, que vai capacitar professores, vai dar acesso a esse conteúdo de uma forma permanente para a população. Vai permitir visitas de alunos de forma sistemática", explicou.

O museu começa ganhar formas. Um espaço no campus da Ufes em Goiabeiras é reformado para abrigar essa mostra permanentemente. A obra deveria ter sido concluída no ano passado, mas por problemas com a antiga empresa que executou o serviço, uma nova licitação está sendo realizada. Esse espaço será transitório, já que é de pequeno porte. No campus da Ufes em Maruípe, uma área de 1.200 metros quadrados está reservada pela universidade para "dar vida" ao museu, com arquitetura moderna e atraente para abrigar o sonho do professor Bittencourt.

Visitantes ao lado corpo humano real na exposição em Vitória

Visitantes ao lado corpo humano real na exposição em Vitória

Foto: Fiorella Gomes

Reações

Mesmo habituada a lidar com esse tipo de material, a bióloga Mainã Montavanelli da Mota, 25 anos, se diz surpresa com a forma que exposição apresenta o corpo humano. "Essa exposição foi muito interessante, trouxe muitas coisas novas. Muito interessante a forma como foi exposta todas as mostras, uma sequência lógica que as pessoas passam e entendem toda a evolução. As peças são de ótima de qualidade que da para entender muito bem toda essa questão do corpo humano", avaliou.

O engenheiro químico Cláudio Brisochi, 27 anos, também ficou impressionado. "No meu campo de formação é algo que não tem muita presença no dia a dia. Para mim, por ser algo novo, é interessante de fazer uma visita dessa. Chama a atenção, a curiosidade de conhecer o corpo humano", afirmou.

O curador explica o porquê de tanto sucesso da mostra. "Eu gosto de dizer que as pessoas que entram aqui estão procurando a si. O que nós temos aqui é o corpo humano. E o que é mais importante para nós do que nosso corpo? A pessoa entra aqui, ela se identifica. Ela olha um coração humano e fala: 'nossa esse é meu coração. Eu sou assim!'. Uma visitante me disse a pouco 'eu não sabia que eu era tão importante, tudo isso está dentro de mim'. Gosto de dizer que o visitante se encontra aqui dentro. É o autoconhecimento, a reflexão de si, entender como estamos inseridos nesse ambiente, nesse contexto. Elas compreende mais tudo que acontece com o seu corpo e passam a cuidar mais dele", afirmou à CBN.

Professor de anatomia da Ufes e curador da exposição, Athelson Bittencourt

Professor de anatomia da Ufes e curador da exposição, Athelson Bittencourt

Foto: Fiorella Gomes

 

Na mostra o visitante faz uma viagem ao tempo pela história da evolução humana, partindo de 500 milhões de anos atrás, quando surgem os primeiros vertebrados, até os tempos atuais. Lá, ele pode conferir diversas partes do corpo: crânios, músculos, nervos. Há diversos tipos de cortes que mostram o interior do ser humano.

Entre as peças mais emblemáticas da exposição está "O Corpo Fascinante", onde é possível ver todos os músculos superficiais do corpo. A peça comporta mais de duas mil horas de trabalho de dissecção.

A mostra conta ainda com uma coleção de evolução humana inédita no Brasil. Por meio de editais de captação de recurso foi possível importá-la. Trata-se de uma réplica realística da evolução do ser humano. 

Exposição já recebeu sete mil visitantes em aproximadamente duas semanas

Exposição já recebeu sete mil visitantes em aproximadamente duas semanas. 

Foto: Fiorella Gomes

Horários

A mostra vai até o dia 30 de agosto e as visitas podem ser feitas de terça a sexta, das 9 às 18 horas. Aos sábados das 9h às 17 horas. E aos domingos 9h às 16h. A entrada é gratuita.

 

________________________________________________________________________

 

Matéria publicada no site do Governo do Estado do Espirito Santo, no dia 11 de Agosto de 2015.

Exposição ‘Corpo Humano - Da Célula ao Homem’ até 11 de setembro

A exposição ‘Corpo Humano - Da Célula ao Homem’, em cartaz no Palácio Anchieta, foi prorrogada até o dia 11 de setembro. A mostra já recebeu mais de 23 mil visitantes, que podem conferir os aspectos anatômico-funcionais do corpo humano, desde suas estruturas elementares até as mais complexas, como o DNA, células e tecidos, órgãos e sistemas.

A mostra promove uma fantástica viagem pela história da evolução humana, partindo de 500 milhões de anos atrás, quando surgem os primeiros vertebrados, até os tempos atuais. Modelos didáticos 3D e microscópios apresentam, com precisão, o universo microscópico do corpo humano. Compõem o acervo da mostra ‘Corpo Humano: Da Célula ao Homem’ cerca de 280 peças, entre ossos, espécimes naturais mumificadas, plastinadas ou fixadas em formol, réplicas realísticas de fósseis de hominídeos e animais pré-históricos, e modelos anatômicos didáticos de órgãos e sistemas. Entre as curiosidades, um corpo humano dissecado, vertical, fixado em formol.

 

Multimídia

 

Com recursos tecnológicos avançados, os visitantes interagem mais facilmente com a exposição. Em uma das salas funciona um espaço multimídia com 45 lugares, que exibe o filme “Viagem por dentro do corpo humano”, com duração de 15 minutos. Através de monitores de LED 42’’ são exibidos filmes, animações e esquemas táticos.

A exposição científica "Corpo Humano: Da Célula ao Homem" é patrocinada pelas secretarias estaduais da Cultura e da Educação. A realização é do MCV - Museu de Ciências da Vida, da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), sob a curadoria de Athelson Bitencourt, idealizador do projeto, coordenador do MVC e professor de Anatomia e Neuroanatomia.

 

Serviço

Exposição ‘Corpo Humano: Da Célula ao Homem’

Visitação: até 11 de setembro - de  terça a sexta-feira, das 9 às 17h. Sábados e domingos das 13 às 18h

Local: Espaço Cultural Palácio Anchieta, no Centro de Vitória.

Entrada gratuita

 

 

Agendamento de visita

(27) 3636.1030/ 1032

agendamento.palacioanchieta [at] es.gov.br

 

Informações à Imprensa

Assessoria de Comunicação da Secult

Paula Norbim / Erika Piskac / Márcia Almeida

secultes.imprensa [at] gmail.com / comunicacao.secult.es [at] gmail.com / imprensa [at] secult.es.gov.br

Tels.: 3636-7111/99808-7701/99902-1627

Facebook: secult.espiritosanto

Twiter: @secult_ES

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910